mestre%20pastinha_edited.jpg

MESTRE PASTINHA

"Capoeira é para os homens, as mulheres e as crianças. Os únicos que não aprendem Capoeira são aquelas que não o desejam." (Mestre Pastinha)

Vicente Ferreia Pastinha nasceu em Salvador na Baia em 1989. O mestre é reconhecido pela sua preservação da Capoeira Angola.
Por ser uma criança franzina, era frequentemente ameaçado na sua infâcia. Para sua proteção, um africano de nome Benedito ensinou-lhe Capoeira como forma de autodefesa.
Mesmo mantendo um porte franzino, mestre Pastinha era reconhcido como um excelente capoirista, conseguindo vencer homens brutos, tendo até trabalhado como segurança de um casino local.
Era também conhecido por transportar uma pequena foice que prendia ao berimbau transformado-o numa arma ofensiva.
Pastinha é também reconhecido como filósofo e contador de histórias, tendo dedicado a sua vida ao amor pela Capoeira.
Depois de o mestre Bimba abriu a sua escola de Capoeira, mestre Pastinha funda também a sua, onde, por oposição à Luta Regional Baiana, acreditava ensinar uma forma mais  pura de Capoeira, estilo que ficou conhecido como Capoeria Angola.
Procurando afastar a Capoeira da conotação marginal e violenta da Capoeira de rua, introduziu esta arte nas academias pois fornecia-lhe disciplina.
Acrecentou ainda hierarquia e estrutura por forma a travar o uso do comportamento violento e descontrolado, dando ênfase ao papel do mestre na roda como elemento regulador do comportamento dos capoeiristas e também como guardião das tradições.
Introduziu o uso de uniformes na sua academia, com as cores amarelo e preto, inspiradas no seu clube de futebol favorito, o Ipiranga eque ainda hoje se veêm em muitos angoleiros.
Promovia o fair play, as boas maneiras e a lealdade.
Para manter uma identidade mais pura da Capoeira, o mestre baniu movimentos pertecentes a outras artes marciais, pontapés altos e todas as formas de luta corpo a corpo.
Mestre Pastinha colocou grande êngase na música de capoeira, compondo muito ds seus ritmos e canções.
Tornando-se o mais importante angoleiro do seu tempo, a sua "capoeira autêntica" era de tal forma famosa que nos anos 60 do século XX os turistas visitavam a sua academia para asisitir a Capoeira.
Contudo, nos anos 70 a sua academia foi definitivamente tomada pela Fundação da Herança Artística e Cultural e mestre Pastinha entrou em declínio.
Faleceu em 1982, pobre, sem visão, numa instituição para idosos.